O desenho gráfico secular entalha a máscara retangular de madeira utilizada pelo povo Bakairi no ritual Yakuigâde. As mesmas linhas de geometria exata inspiram a criação da cadeira que toma emprestado o nome da etnia indígena que habita às margens do Rio Paranatinga, no Mato Grosso. Expõem no traçado ancestral o vínculo com as tradições, os mitos permeados de elementos naturais. A cultura dos Bakairi venera uma origem particular do mundo, do dia e da noite, do sol e da lua. Guarda na sofisticada celebração Yakuigâde reverência ao espírito protetor dos animais aquáticos e das aves ribeirinhas. Os ritos – sempre lideradas pelo líder do grupo local e pelo xamã no plano espiritual - abrigam cânticos e preservam as pinturas corporais elaboradas com jenipapo e urucum. Exaltam a pescaria, a caça, o alimento. A narrativa
impregna o design que forja no aço e na amarração artesanal a memória resistente ao tempo.